Mulheres e investimentos: a representatividade feminina no mercado financeiro à luz das finanças comportamentais

Ione Carvalho Santos, Thayná Lima Vieira, Joenison Batista da Silva

Resumo


A ideia central do artigo baseia-se em buscar informações sobre a participação e o perfil feminino no mercado financeiro levando-se em consideração seu comportamento a luz das finanças comportamentais, realizando um contraste entre a história, cultura, desigualdade salarial e acesso a informações. As finanças comportamentais são a identificação e compreensão das ilusões cognitivas, inclusive as heurísticas, a teoria do prospecto versus teoria da utilidade esperada. O objetivo geral do estudo esteve pautado em analisar as características e o comportamento de mulheres sergipanas que já fazem algum tipo de aplicação financeira conforme seu perfil de investidor que pode ser conservador, moderado ou agressivo e em qual tipo de ativo costumam mais investir. Com o intuito de reunir os dados necessários do público em questão e para uma melhor análise das variáveis estudadas, foi realizada pesquisa quantitativa descritiva, por meio da aplicação de um questionário eletrônico, em que as investidoras puderam responder anonimamente e de forma remota, a utilização desse método permitiu conhecer as características de cada participante, bem como a sua maneira de lidar com diferentes situações. Logo, os resultados apontam que entre as investidoras sergipanas predomina um perfil moderado de investir, nota-se que assumem pouco risco, em razão de tratarem a segurança de suas aplicações financeiras como uma prioridade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós Graduação Mestrado Profissional e Doutorado em Administração - PPGA