DETERMINANTES DA REGULAÇÃO DE INSTIUIÇÕES DE MICROFINANÇAS

Ana Lucia Carvalho Santos

Resumo


Essa pesquisa teve como objetivo identificar as características determinantes da regulação de instituições de microfinanças (IMFs). Para tanto, utilizou-se como método de estudo o empírico-analítico e como técnica estatística a regressão logística no intuito de identificar a probabilidade de uma IMF ser regulada considerando a classificação legal do país e algumas variáveis contábeis, a saber: Tamanho (Total dos Ativos), Custo por empréstimo, Número de mutuários ativos e Autossuficiência operacional, além de algumas características das IMFs: Status legal e Idade. As variáveis foram definidas com base em estudos anteriores e o referencial teórico da pesquisa foi a Teoria da Regulação. Os dados foram coletados nos sites themix.org e juriglobe.ca. A amostra foi composta por 721 IMFs de 83 países classificados pelo sistema legal e que divulgam informações contábeis na base mixmarket para o ano de 2012. Os resultados mostraram que, com exceção do tamanho da IMF (total de ativos), as demais variáveis contábeis não foram significativas para explicar a probabilidade de a IMF ser regulada. As variáveis que se mostraram relevantes para explicar o fenômeno em estudo foram o tamanho da IMF - quanto maior for a IMF em termos de total de ativos, maior a probabilidade de ela ser regulada -, o fato da mesma ser uma ONG - o que diminui a chance de ser regulada - e o sistema legal do país a que pertence - o sistema legal misto é o único que afeta a variável dependente -. É importante ressaltar que esses resultados são compatíveis com estudos anteriores. Pretende-se, com esse estudo, além de contribuir com as discussões sobre o tema, auxiliar nas ações e/ou políticas voltadas para a regulação de instituições de microfinanças.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós Graduação Mestrado Profissional e Doutorado em Administração - PPGA