Evidências da política monetária brasileira de controle inflacionário

André Azevedo Muta, Cléber da Costa Figueiredo, Orlando Assunção Fernandes

Resumo


Este artigo objetiva avaliar a tese de eficiência do mecanismo de transmissão da política monetária brasileira, por meio da manipulação da taxa básica de juros (Selic), no controle inflacionário. Reconhecendo a importância e o reflexo da política monetária sobre a economia em geral e sobre o mercado financeiro em particular, o presente estudo utilizou-se de mecanismos econométricos, baseados no período de 2002 a 2015, a partir de séries relativas à inflação, ao produto, à taxa básica de juros e ao desemprego. Para tanto, foram utilizados modelos de vetores autorregressivos (VAR), testes de causalidade e cálculos de função impulso-resposta, a fim de avaliar as possíveis evidências de relações multivariadas entre as séries, de modo a concluir que a estratégia de definição da taxa básica de juros, como um instrumento de política monetária, é significantemente eficiente. Assim, dentro das estimações realizadas, reafirmou-se que tal ferramenta ainda é o principal instrumento de transmissão dos efeitos da política monetária.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós Graduação Mestrado Profissional e Doutorado em Administração - PPGA